Skip to content

Mensagens

Abaixo, seguem mensagens e cartas dos leitores e colaboradores do Blog.

————————————————————————————————————–

Mensagem de Sylvia Manzano comentando a declaração de  Sergio Cardoso: “Fernando Haddad chegou à política por suas aspirações de cidadania”

“É maravilhoso ver a cidade pulsando, ver que Haddad realmente empolgou os eleitores.
Pena que não vai ter debate na Record hoje, pq ele vem se superando a cada debate, é ótimo de argumentação e muito bom de briga. Surpreende cada vez mais. E vai ganhar: está escrito nas estrelas.”

Sylvia Manzano comentando Quem somos

“Gostei mto desse blog e compartilhei no FACE.
É maravilhoso ver a cidade pulsando, corações batendo numa mesma sintonia.”

—————————————————————————————————————-

Carta de Ana Rita de Paula e Tuca Munhoz, Ativistas pelos direitos das pessoas com deficiência.

Arco do Futuro – Arco da Inclusão

Meus amigos e amigas,

Não sabemos precisar o grau de prejuízo para a democracia brasileira decorrente do fato de que, em nosso país, as legendas partidárias sejam bússolas, muito pouco precisas, para nortear os votos dos cidadãos, além do que, é difícil avaliar as razões e as consequências de que, nesta eleição à prefeitura de São Paulo, os programas dos candidatos sejam extremamente parecidos e pouco definidores de suas concepções e modos de pensar a política e a prática da gestão da cidade.

Sabemos que, conhecer e analisar a pessoa do candidato, nesta situação de camuflagem dos projetos de poder, são as estratégias mais seguras para decidir em quem votar.

Muito nos preocupa o clima de descontentamento, frustração e revolta dos eleitores contra “os políticos”. Já assistimos a este “filme” uma vez e, seu fim é trágico. Candidatos como Collor de Melo e, agora, Russomano têm muito em comum e surgem, justamente, nestes momentos de descrença da população na política e na própria capacidade de lutar e conquistar seus direitos, sem necessitar de “salvadores da pátria”, “defensores dos pobres”, que se apresentam sem “padrinhos políticos” ou de apoios de outros setores sociais. Reafirmar que a prática da política é necessariamente suja, mostrar-se como alternativa nova e isolada, já denuncia um pensamento de que se deseja governar sozinho. Contrariamente ao que dizem, não estão ao lado do povo e, sim, sentem-se acima deste, lançando uma mão de ajuda àqueles que são pensados como carentes, incapazes e necessitados de alguém que fale e lute por eles. Fazem parte sempre de projetos de poder espúrios, na medida em que, têm grande preocupação em esconder os apoios políticos que os sustentam. No caso de Collor, os usineiros alagoanos e no caso de Russomano, uma corrente retrógrada e pouco confiável dos grupos evangélicos.

Bem sabemos das frustrações da população advindas, quando setores do PT optaram por trocar a mobilização popular por articulações de bastidores, fazendo uso da velha política do toma lá dá cá. Isto, porém, não justifica um voto de protesto que nos colocará a todos na trágica repetição da história.

Olhando para trajetória de Fernando Haddad como gestor público, não encontramos nada que o desabone como político. Olhando para seu programa de governo, verificamos propostas inovadoras, viáveis e consequentes. Seu programa parte de uma análise profunda da realidade da cidade e de seu processo histórico de construção.

Suas propostas estão alinhadas com os princípios mais modernos das políticas públicas de Estado, como o SUS e o SUAS. Na área da atenção às pessoas com deficiência, ao contrário de projetos de centralização de grandes serviços, altamente especializados, suas propostas vão ao encontro das reais necessidades da população mais vulnerável socialmente, descentralizando atendimentos, desconstruindo os mecanismos sociais de segregação e exclusão, tornando, efetivamente, os sistemas públicos de saúde, educação, trabalho, transporte e mobilidade urbana, proteção social e outros, verdadeiramente inclusivos.

É por tudo isso que pedimos que você reflita sobre sua intenção de voto e considere a história passada. O novo na política não é uma pessoa e sim uma prática: a participação e o controle social da ação dos políticos. Este novo é de nossa responsabilidade e competência. Não sejamos mais iludidos com bravatas de candidatos “caudilhos”.

IMPORTANTE: Se você concorda com nossa posição, divulgue esta reflexão para seu círculo de amigos.

Ana Rita de Paula e Tuca Munhoz

Ativistas pelos direitos das pessoas com deficiência.

One Comment leave one →
  1. outubro 1, 2012 7:26 pm

    Um desabafo-manifesto. Semana decisiva. Vamos abrir bem os olhos… estão cientes do quão DESASTROSO, TERRÍVEL E RETRÓGRADO pode ser o preço do DESENCANTO?

    Russomano e Serra representam a direita (cínica e travestida no caso do Russomano e extrema, no caso do Serra) no poder, o que significa “mexer na classe média, na elite”. O grande problema do Brasil, desigualdade e injustiça social, ficarão estagnados. Números comprovam que o PT tem governado a favor da minoria. Aos trancos e barrancos, com tropeços e dificuldades…tem como foco a igualdade social.
    Num passado recente, o PT representava a mudança, esperança. Era o partido perfeito, imune. Hoje, a utopia fragilizou-se e cedeu espaço ao desencanto. Como o partido perfeito pode ter “mensalão” e firmar alianças tão errôneas?
    Ora, sejamos racionais: nenhuma empresa consegue exercer total controle sob seus funcionários. É possível que, em algum momento, um deles saia do trilho. E então, o que fazer? Apurar, julgar (com cuidado e discernimento para não fazer injustiça apenas para mostrar serviço ou agradar à mídia). Eis o que o PT está fazendo.
    E que bom que está fazendo. Orgulho. Vergonha é engavetar os “mensalões” como fizeram outros partidos ou alguém é tão ingênuo a ponto de acreditar que nunca antes na história deste país houve algo parecido???
    Aprovar leis sem a maioria no Congresso também é difícil. Não adianta sonhar com a mudança sem contar com ferramentas que possibilitem tal mudança. Sim, são vários os fatores que contribuíram com a imagem desgastada do PT… mas quero declarar aqui, o MEU ponto de vista… A ilusão de que o PT seria perfeito gerou desencanto. Há problemas sim. O mensalão está em julgamento. As alianças se fazem necessárias para aprovar leis e concretizar um bem maior. Eu confio sim, que a única possibilidade de melhorar a igualdade social e aumentar o acesso das classes mais baixas a tudo que usufruem as classes mais altas, é com o PT.
    Eu voto no Haddad por todos estes motivos e mais; porque trabalhei 5 anos como assessora de imprensa na Secretaria de Estado da Educação em Curitiba e vi de perto, tudo que Haddad fez pela educação quando Ministro. Vi programas transformadores sendo concretizados. Conheci Haddad pessoalmente. Trata-se de um homem íntegro, inteligente, extremamente preocupado com a juventude mais carente, cheio de vontade de fazer justiça.
    Eu voto no Haddad porque entendo a estrada cheia de curvas e dificuldades percorrida pelo PT. Tenho ciência de que, apesar da estrada, o destino em que se quer chegar ainda é o mesmo. Voto no Haddad porque o conheço e porque nele acredito.
    Enfim, fica aqui, meu manifesto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: